Crises que foram superadas com a ajuda de uma agência de assessoria de imprensa

Tempo de leitura: 3 minutos

No dia a dia dos negócios, nem sempre as coisas saem como o planejado, não é mesmo? Mais complicado ainda é quando o problema chega até a mídia e a opinião pública se revolta — estamos falando de crises grandes, claro. Nessa situação, contar com uma agência de assessoria de imprensa pode fazer a diferença!

Diversas grandes empresas já passaram por apuros. Em algum momento elas foram mal vistas pelo público? Óbvio que sim. Mas muitas delas conseguiram contornar isso, a partir de um plano de comunicação estratégico, focado em responder as principais dúvidas do público e mostrando como o problema seria resolvido.

Quer ver só? Separamos algumas situações que foram superadas com o gerenciamento de crise. Confira!

Tylenol

Na década de 1980, sete pessoas faleceram nos Estados Unidos depois de terem tomado Tylenol, um analgésico produzido pela Johnson & Johnson. O medicamento em questão continua cianeto, uma substância venenosa.

Assim que os casos vieram a público, o laboratório foi altamente criticado pela imprensa de todo o mundo. No olho desse furacão, a Johnson & Johnson tomou uma série de medidas para resolver a situação.

Primeiramente, a empresa retirou todos os produtos do mercado americano, o que custou cerca de US$ 100 milhões, e se comprometeu a auxiliar o FBI nas investigações. Além disso, a companhia investiu em uma agência de assessoria de imprensa para contornar a crise — afinal, a opinião pública estava contrária à empresa.

Com o auxílio desses profissionais, o laboratório abriu a fábrica aos jornalistas, para que pudessem verificar todos os processos. Assim, a empresa tomou a dianteira da comunicação, alimentando a imprensa com as informações necessárias e diminuindo os rumores negativos.

O mais interessante desse caso é que desde o começo a postura da Johnson & Johnson foi sincera. Em momento algum, a empresa fugiu da responsabilidade ou negou os fatos. Infelizmente, um acidente acontece e, diante disso, a companhia fez o que estava a seu alcance para atenuar os riscos.

Brastemp

Recentemente, a Brastemp também teve que lidar com erros dos próprios colaboradores. Por uma falha interna, um consumidor ficou 90 dias sem geladeira e sem obter resposta do SAC, depois de 10 tentativas.

Diante disso, o cliente fez um vídeo e postou nas redes sociais, que em poucos minutos ganhou repercussão. Assim que a Brastemp tomou conhecimento, ela entrou em contato com o consumidor para resolver o problema. Após isso, ela descobriu o departamento que estava falhando e o treinou novamente.

Além disso, a Brastemp veio a público se posicionar, com a ajuda de uma equipe de comunicação. Quando, enfim, o consumidor receber o refrigerador, todos o que acompanhavam o caso ficaram sabendo. Isso reverteu positivamente para a imagem da marca.

Ruffles

Popularmente, as batatas Ruffles são famosas por terem um espaço na embalagem, sem o produto. Nas redes sociais, os usuários estavam dizendo que o salgadinho tinha muito “ar”, o que seria uma enganação.

Para responder isso, a Ruffles deu uma resposta descontraída e no canal que o público estava: nas redes sociais. A empresa criou uma postagem divertida para explicar que o ar fazia parte do produto, e que sem ele a batata não teria a mesma qualidade.

Em menos de um mês, o post já havia sido visto por mais de 20 mil pessoas. Além disso, a Ruffles também ganhou mais seguidores no Twitter e fãs na página do Facebook.

Quer evitar crises?

Quer evitar que crises ocorram com a imagem da sua empresa? Conte com uma assessoria de comunicação. Além de atenuarem os riscos de algo negativo afetar a reputação dos seus negócios, esse tipo de serviço também pode ajudá-lo a conquistar ainda mais o público.

Entre em contato com a MGA Press e veja o que podemos fazer pela sua empresa. O nosso objetivo é ver o seu sucesso!

Deixe Seu Comentário

Comentários